Bom dia Juanma. Penso que neste sector já é uma pessoa muito conhecida e apreciada, mas queremos que os nossos clientes o conheçam um pouco mais e talvez lhes possa dar alguns conselhos.

Qual é o seu trabalho actual? 

Sou técnico do proceso de caneladora

Trabalho para a C&D, o fornecedor nº1 de colas prontas no mundo.

Há quanto tempo está no mundo do corrugado?

Bem, a minha é quase como uma tradição familiar, pois sou a terceira geração da minha família a trabalhar neste sector.

Já passaram 24 anos desde que comecei na Iberoamerica del embalaje, depois tornamo-nos Assidoman e finalmente Smurfitkappa, todos em Sant Vicenç dels Horts. Nesta fase de 12 anos comecei como aprendiz em Onduladora e passo a passo aos 4 anos tornei-me Supervisor de Onduladora até atingir os 12 anos nessa empresa. Depois comecei a trabalhar para a C&D até hoje. Foi um desafio pessoal, uma vez que mudou totalmente a forma de trabalhar, mas foi um desafio muito agradável e foi-me oferecido aprender muito tecnicamente no processo da onduladeira.

Qual é a importância da cola no processo de fabrico do cartão?

É um dos pontos mais críticos no fabrico de cartão, juntamente com a temperatura.

Pode ter a melhor máquina do mercado, os melhores papéis, os melhores maquinistas, mas se não tiver uma cola estável e segura, tanto na colagem como no desempenho, não pode fazer nada.

Na C&D estamos concentrados nas colas à base de trigo porque podemos obter muito mais desempenho das onduladoras actuais, uma vez que a procura está a aumentar todos os dias. Actualmente as onduladoras podem atingir 400 m/min, a produção agrícola pode atingir 250 m/min e a margem económica está a diminuir cada vez menos. 

É necessária uma cola que possa garantir tudo isto sem qualquer problema. 

Quais são os principais problemas com que se depara quando as empresas lhe pedem ajuda?

A grande maioria das empresas telefona-me por causa de problemas de produção.

Problemas com a colagem nos bordos do cartão, muitos resíduos, especialmente em cartão agrícola, estabilidade da cola, etc.

Todos os dias os papéis são cada vez mais difíceis de colar porque estão muito fechados.

É verdade que as máquinas de ondulação quando comecei não têm nada a ver com as actuais. Antes quase tudo era manual e era necessário ter uma formação técnica para ser um bom maquinista, agora não, as máquinas de agora são todas automáticas e o maquinista de um grupo de onduladoras é quase apenas um reabastecedor de bobinas. 

Em muitas das máquinas que visito, a pessoa responsável pela onduladora só está no comando há pouco tempo e muitas delas não são sequer do sector. Não é para menosprezar ninguém, mas penso que é um erro.

Que conselhos daria às empresas?

Boa pergunta, se eu tivesse a resposta certa eu seria um empresário!

Só posso falar pelo que me acontece em muitos testes que faço.

Por exemplo, em todos os testes que realizo com amido C&D os resultados são muito positivos, aumento de produção até 20%, redução de resíduos de pelo menos 0,5%, ECT mais elevado nas folhas de cartão, etc. Os resultados contrastaram com os do cliente, eles admitem esta melhoria, mas a única coisa para que olham é que o preço do nosso amido é mais caro.

Alguém parou durante algum tempo para calcular e ver se é realmente rentável consumir o nostro amido?

Sabem eles o que significa reduzir 0,5% dos resíduos?

Será que analisaram que fazer cartão mais estável aumenta automaticamente a produção de conversão sem fazer nada?

A minha resposta a estas perguntas é NÃO, eles só olham para o preço.

O meu conselho seria calcular, mas com números reais do que pode ou não ser rentável, não fazer números para dizer ao superior " Olha, comprei este produto e estamos economizando X por tonelada ”.

Próximos projectos?

Obviamente, o primeiro projecto é voltar à normalidade o mais cedo possível. A maior parte do meu trabalho está na América. As plantas ali existentes são muito diferentes das espanholas, e uma planta ali pode facilmente ser como 4 plantas aqui em termos de produção.

É um mercado muito interessante com uma grande projecção de crescimento.